Destaque, Notícia

SEMA realiza ações de conscientização sobre a destinação adequada dos resíduos nas praias

Sensibilizar, conscientizar e mobilizar foram as palavras chave para ações realizadas nos últimos sábados de agosto (08, 15 e 22) pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA). As ações, que tiveram como foco a destinação adequada dos resíduos gerados pelos banhistas e donos de bares da orla metropolitana de São Luís, aconteceram nas Praias do Araçagy, Praia do Meio e Praia do Olho D’água e contaram com apoio da Secretaria de Meio Ambiente de São José de Ribamar e do Comitê Gestor de Limpeza Urbana de São Luís.

O volume de resíduos gerados nas últimas décadas vem crescendo significativamente. Somente no ano de 2018, segundo panorama da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), foram gerados 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos, um aumento de 1% a mais que o ano anterior e com 40,5% descartados de forma inadequada, ou seja, 29,5 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos tiveram a destinação os aterros que não contam com medidas e/ou sistemas adequados para proteger a saúde das pessoas e o meio ambiente.

“A Secretaria vem atuando na sensibilização da população maranhense quanto a responsabilidade compartilhada que todos temos. É necessário que cada um se preocupe com a destinação adequada do seu resíduo”

Hayane Araujo – Superintendente de Gestão de Resíduos

Pensando nisso, a SEMA desenvolveu o projeto “Ação de Limpeza nas Praias” e vem realizando atividades de sensibilização e conscientização dos banhistas e donos de bares da região metropolitana de São Luís. Como explica a Superintendente de Gestão de Resíduos da SEMA, Hayane Araujo, “nosso intuito é estar esclarecendo a esse público que os resíduos possuem uma destinação adequada e que o descarte inadequado gera diversos problemas ambientais, interferindo diretamente em nosso ecossistema, além de configurar um dano ao meio ambiente, sendo, portanto um crime”, pontuou.

A geração de resíduos nas praias também vem aumentando gradativamente. De acordo com um levantamento divulgado pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP), cerca de 95% do lixo encontrado nas praias brasileiras é composto por itens feitos de plástico, como garrafas, copos descartáveis, canudos, cotonetes, embalagens de sorvete e redes de pesca e estima-se que 80% desses resíduos tenham origem terrestre.

O auxiliar técnico Michel Cutrim, frequentador assíduo da Praia do Araçagy, sempre leva uma sacola para recolher os resíduos gerados na praia e diz que é necessário que a população se sensibilize com a destinação correta dos seus resíduos. Para ele, falta “ainda a consciência dos donos dos bares e das pessoas que frequentam a praia. Se cada um fizesse a sua parte, com certeza nós teríamos um ambiente muito melhor”, afirmou.

O descarte inadequado de resíduos nas praias pode gerar prejuízos ao desenvolvimento de algumas espécies marinhas, acarretando até na ameaça de extinção de algumas delas. Cabe ressaltar que, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, todos (fabricantes, importadores, comerciantes, consumidores e poder público) possuem responsabilidade compartilhada pela vida útil do produto.

Mais sobre a Ação de Limpeza nas Praias
A ação vem sendo executada desde 08 de agosto e segue cronograma até 19 de setembro de 2020, como parte alusiva ao Dia Mundial de Limpeza (World Cleanup Day). 
Inicialmente pensada para ocorrer nas cidades de São José de Ribamar e São Luís, a Ação de Limpeza das Praias já percorreu as cidades de três cidades da Ilha de Upaon Açu e segue cronograma para atender ainda a cidade de Raposa.
De acordo com o calendário, estão previstas ainda as Praia da Litorânea, praia de São Marcos, Península, Ponta D’areia, Praia da Guia e Praia de Mangue Seco.

Fontes: Superintendência de Gestão de Resíduos; IO-USP; Abrelpe;
Texto: Kleo Souza
Fotos: Kleo Souza/Marcos Caldas