Destaque, Notícia

Educação Ambiental e Semana do Meio Ambiente: a importância de atividades permanentes

Quando ministramos oficinas e perguntamos o que significa Educação Ambiental, a maioria das pessoas tende a responder utilizando palavras como: sensibilizar, compartilhar conhecimentos, realizar campanhas educativas, interagir com diversas áreas… Respostas que estão conectadas aos conceitos descritos nas Politicas Nacional (Lei n° 9.795/1999) e Estadual de Educação Ambiental (Lei n° 9.279/2010). Outra resposta muito comum refere-se à quantidade de pessoas que militam na área ambiental e que afirmam realizar ações de Educação Ambiental. Mas quando é necessário obter informações detalhadas sobre essas ações, percebe-se que, em diversos casos, as mesmas recaem sobre os conceitos atrelados somente as datas comemorativas. Infelizmente, a Educação Ambiental ainda carrega o estereótipo das Datas Comemorativas, das ações pontuais, das ações rápidas que podem se tornar midiáticas. E não é tão simples ampliar e ressignificar conceitos que já estão bastante enraizados nas concepções práticas das pessoas. Não é fácil sensibilizar para de fato mostrar que a Educação Ambiental é muito mais e representa muito mais na vida das pessoas do que a simplificação de palestras e plantio de mudas realizados de formas pontuais durante o Dia Mundial da Água e o Dia Mundial do Meio Ambiente. É desafiador e ao mesmo tempo estimulante para os Educadores Ambientais conseguir planejar e executar ações que façam sentido na vida das pessoas com mudanças no comportamento cotidiano em prol da sustentabilidade ambiental. Existem muitos exemplos no nosso país de trabalhos consistentes de Educação Ambiental, com envolvimento da sociedade, planejamentos participativos, integração de áreas ambientais, humanas e exatas, se assim podemos dividir, quando na verdade um dos princípios da Educação Ambiental é a transversalidade, ou seja, a capacidade que a temática apresenta de ser contextualizada em diversas áreas de conhecimento. E quando se trata do elemento Transversalidade, é importante ressaltar que, tanto a Educação Ambiental Formal (voltada para o ambiente da escola e da universidade) quanto a Educação Ambiental Não-Formal (voltada para as comunidades) bebem desta fonte como algo precioso para fazer um trabalho de Educação Ambiental ter sucesso. O Maranhão é um dos estados privilegiados na área por possuir o Plano Estadual de Educação Ambiental (Lei n° 10.796/2018), principal instrumento de gestão da Política de Educação Ambiental, o qual foi construído com a participação de 194 municípios maranhenses e que traz um robusto bojo de ações para serem implementadas considerando a Educação Ambiental Formal, Não-Formal e Difusa. Ter um Plano é muito mais que fazer parte de uma estatística de estados que apresentam o principal instrumento de gestão. É poder direcionar ações a serem executadas por diferentes atores (poder público, sociedade civil organizada e setor privado) com o objetivo de fazer Educação Ambiental de maneira sensível, aliando participação e envolvimento da sociedade, ao mesmo tempo com visibilidade técnica na execução de determinado planejamento, objetivando alcançar factíveis resultados, considerando que muitas pessoas já demonstram cansaço em participar de ações que não conduzem a êxitos concretos. Vale reforçar que, o Plano não se restringe somente à SEMA e à SEDUC, mas reiterar que ambas compõem juntas o órgão gestor da Educação Ambiental no Maranhão. Em suma, ressaltamos que o Plano é do Estado, de razão pública e importante catalizador de ações de Educação Ambiental. Assim, pensar no Dia Mundial do Meio Ambiente em 2020 requer sensibilidade e criatividade para continuarmos acreditando e executando ações que tornem realidade os conceitos da Educação Ambiental: “como um processo contínuo e permanente, de caráter formal e não-formal, atingindo formação individual e coletiva, em todas as modalidades de ensino, estimulando a reflexão crítica e a cidadania ambiental para a melhoria da qualidade de vida”.

Laís de Morais Rêgo Silva

Bióloga, Superintendente de Educação Ambiental – SEMA